Pensamentos sobre 2017, com o Tinder e Urano à mistura! Welcome 2018!:)



Há pouco tempo um amigo comentava comigo que estava farto do Tinder, estava farto de meter conversa com pessoas novas sentindo nesses encontros uma monotonia quase igual à monotonia de estar sempre com a mesma pessoa. Nos primeiros encontros, as perguntas e respostas repetiam-se e a sensação de estar constantemente numa entrevista de emprego tornou-se insuportável. 

"Comprámos os bilhetes de cinema. Estávamos na fila e disse-lhe que me ia embora, que já não me apetecia ver filme nenhum. Discutimos como se fossemos um casal. Ela pediu-me para levá-la a casa e aceitei, mas na condição de não falarmos mais a viagem toda! Fartei-me do questionário e da conversa de sempre, das perguntas sobre o que faço, sobre o que estudei, os meus hobbies e ambições, se sou fluente cantonês, as viagens que fiz, se quero filhos, quanto ganho, fartei-me desta pressa toda para se conhecer alguém, para conhecer a pessoa que nos vai tirar do Tinder!" 

Quando ele acabou de falar, soltámos uma gargalhada meia triste. 

Vivemos como se todos os dias tivéssemos um exame final de curso e assaltássemos de véspera a mala do professor para assim poder ter sempre as respostas prontas para tudo.  

2017 descobriu que lhe assaltei a mala e trocou-me os exames. 

Não foi um ano para fazer batotices. 

2017 foi um ano intenso.  Mudei de casa e de trabalho duas vezes, mudei de país, reencontrei pessoas, perdi outras, pensei muito, emocionei-me mais, chorei e ri demais, quase ao mesmo tempo. Eu sou muito calma e tranquila, organizada e metódica. 2017 chegou para me provocar, para me desarrumar, para me ensinar a improvisar.  Aceitei a confusão e dissipei-me nela, confiando que ia correr tudo bem mesmo sem plano nenhum, sem respostas prontas para nada.

 Encontrei uma ordem no caos e protegi-me da ansiedade gerada pelo caos dos outros em mim e pelas opiniões dos outros de mim.

Cada vez mais as minhas missões, sempre que entro num novo ano, são menos físicas e materiais (apesar de pouco ter conquistado a este nível) e mais internas e intelectuais. Tenho a missão de aprender a confiar mais, de abandonar velhos hábitos de pensamento e de dependência, de me rodear de pessoas que me inspirem, que sejam positivas, agradecidas e trabalhadoras, pessoas que se superem todos os dias, mas que encontrem beleza na trivialidade das coisas também. 

Por mim congelava o tempo aqui. Estou bem e feliz, mas como me dizia uma amiga que gosta de ler o futuro nos astros: 

- A tua vida vai dar um trambolhão este ano no momento em que Urano entrar em Touro! Vais desaprender tudo o que sabias sobre ti mesma! Só para que saibas, Urano não entra em Touro desde a Segunda Guerra Mundial! Por isso, diz adeus a tudo aquilo que conhecias como estável!"

A mudança e eu já andámos de mãos dadas há algum tempo, por isso, que venha Urano, que venha 2018,  que cheguem todas as revoluções desta vida! Provoquem-me que eu estou aqui muito calma para vos receber! Convido-os para um bom jantar e um bom vinho porque eu não gosto de ir para a guerra de barriga vazia.

Um bom ano para todos. 










No comments

Post a Comment

© Chez Lili

This site uses cookies from Google to deliver its services - Click here for information.

Professional Blog Designs by pipdig